Seguidores

abril 01, 2013

.história ou estória?

Imagem encontrada AQUI.
 
Como podemos ler numa resposta de “Dúvidas Linguísticas” (flip.pt), “A palavra estória é uma forma divergente de  história, pois ambas têm origem no grego historía, -as (exame, informação, pesquisa, estudo, ciência) através do latim historia, -ae, tendo a forma estória entrado através do inglês story.

Para compreender melhor esta coexistência contemporânea, recuemos no tempo.
1. Na Idade Média encontramos várias grafias (com o mesmo sentido): historia, hestoria, estoria, istoria, estorea, etc.
Extrato de um documento do século XVI: “E os lugares de portugueses que ficaram em Portugal, posto que às vezes fossem vencidos como também às vezes eram vencedores, porque assi passa onde ha continoa guerra, todavia sempre teveram capitão christão até o conde dom Anrrique e el-rei dom Afonso Anrriquez seu filho, o qual por autoridade apostolica foi feito rei não devendonada a alguém, como com muita verdade afirma Rui de Pina 7 na Estorea del-rei dom Sancho, o primeiro deste nome.” (In Fernão de Oliveira, Gramatica da Linguagem Portuguesa, 1536).
2. No âmbito do período pseudoetimológico da evolução da língua portuguesa (entre meados do século XVI e 1911), todas as grafias foram varridas, exceto… historia (que só recebeu acento com a Reforma Ortográfica de 1911).
3. Em 1919, João Ribeiro (da Academia Brasileira de Letras) vai ao baú do esquecimento, pega na estoria, reanima-a com um oportuno acento agudo e apresenta-a como proposta para designar, no campo do Folclore, a narrativa popular, o conto tradicional.
4. Em Portugal, o termo só começa a ser usado cerca de 30 anos mais tarde e ganha visibilidade, em 1977, com a publicação do livro de contos Estórias Alentejanas, de Urbano Tavares Rodrigues.
 
 
CONCLUSÃO:
As duas grafias estão consagradas nos dicionários e vocabulários (de Portugal e Brasil) e podem ser utilizadas… mas os sentidos não são 100% coincidentes.
Enquanto a palavra história pode ser utilizada em todos os contextos, estória só se aplica à ficção, designando, segundo a Infopédia, uma “história de carácter ficcional ou popular; conto, narração curta”.
DICA: Estando na dúvida, use história e estará sempre correto!
 
 
E agora que a história da estória está feita, um abraço a todos!
AP



8 comentários:

  1. Parabéns pela excelente postagem! Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Rosa!
      A melhor recompensa é a satisfação dos leitores ;)
      Abraço também para si.
      António

      Eliminar
  2. Deixemo-nos mas é de estórias.
    Mont.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas neste caso não há dedo dos "franciús" e é português de gema... da Idade Média!

      Eliminar
  3. Exactamente, como tantas outras. É até uma forma mais evoluída ou evolvida do que «história», como acontece a outras muitas que se topam no grande F. Lopes, e que os quinhentistas fizeram retrogradar ao étimo. Mas o bom do João Ribeiro não tinha nada que ir desenterrar isso, mas o homem padecia de acessos de «originalite».
    *
    Nem os galicismos, ou estrangeirismos, exaurem as possibilidades de tolice em coisas de linguagem. Antes assim fosse.
    Mont.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não padecemos todos de alguma coisa? Já corrigi redações com "hestórias", juntando numa só realidade os períodos fonético (pela pronúncia do 1º i) e pseudoemitológico (conservação do h) e a Reforma de 1911 (o acento). Prova inequívoca de criatividade...

      Eliminar
  4. Talvez todos padeçamos. E de certeza uns mais do que outros. Curemo-nos entre nós. Eu só agradeço a quem me alivie de alguns padecimentos.
    - Mont.

    ResponderEliminar