Seguidores

julho 29, 2016

O herói do nosso contentamento é Eder ou Éder?


Num artigo publicado no Expresso, há menos de uma semana, pode ler-se no início: “Olá, eu sou o Eder (“não ponham acento, que não é fixe”) e esta é a minha história”.
Enquanto os media em geral escrevem Éder, o próprio vem pedir que não ponham acento, dizendo, mais adiante no artigo: “puseram-me o nome de Ederzito António Macedo Lopes, que abreviei para Eder, sem acento, se fizerem o favor, porque por todo o lado leio “Éder” para aqui, “Éder” para ali.
Se Ederzito não tem seguramente acento (teve-o até fevereiro de 1973: “Edèrzito”), o mesmo não se pode dizer de Éder. Mesmo sendo uma abreviatura de Ederzito, é uma palavra grave terminada em r, pelo que deve receber acento (regra do AO45), à semelhança das palavras graves terminadas em l, n, x e ps (Aníbal, Rúben, Félix, fórceps).
Assunto encerrado? Não... 
Tanto o AO45 como AO90 têm uma base de salvaguarda de direitos que reza assim: “Para ressalva de direitos, cada qual poderá manter a escrita que, por costume ou registo legal, adote na assinatura do seu nome. Com o mesmo fim, pode manter-se a grafia original de quaisquer firmas comerciais, nomes de sociedades, marcas e títulos que estejam inscritos em registo público.

RESPOSTA:
Tendo o nosso campeão adotado a grafia Eder, é livre de a manter e de pedir que lhe não lhe ponham acento.
Mas, fora da área dos antropónimos, todas as palavras graves terminadas em r não podem libertar-se do acento: éter, almíscar, âmbar, açúcar, fémur, etc.

Abraço.

ProfAP

Vale a pena ler o artigo do Expresso AQUI. A foto é de lá.

junho 30, 2016

PORTUGAL está nas meias-finais ou nas meias finais?

Será que desta vez as televisões não tropeçaram no hífen?

Acompanhando o percurso da seleção nacional, vimos há dias que QUARTOS DE FINAL e OITAVOS DE FINAL perderam os hífenes com o AO90 como aconteceu com a generalidade das locuções com elementos de ligação (lua de mel, canto do cisne, pão de ló, fim de semana, etc.).
E agora que avancámos mais um degrau na competição, como vai ser: meias-finais ou meias finais?

RESPOSTA:
Portugal está, sem dúvida, nas MEIAS-FINAIS!
Nota: Este nome composto ("composto morfossintático" na terminologia atual e antes designado "por justaposição"), não tendo elementos de ligação, não sofreu qualquer alteração. Outros exemplos: arco-íris, mais-valia, meia-estação, etc.

Abraço e comemorem os êxitos da seleção e sobretudo a alegria de viver!

ProfAP

junho 26, 2016

Portugal está nos quartos-de-final ou nos quartos de final?

A SIC apanhada em fora de jogo!


Mais um caso em que o hífen assume o papel principal. Misterioso, temível e desafiante, o pequeno traço de união, muitas vezes maltratado, é talvez o maior bico de obra da ortografia da língua.
O AO90 trouxe alterações significativas no uso do hífen, eliminando-o das locuções com elementos de ligação, mas com exceções “consagradas pelo uso”, mais tarde transformadas pelo Portal da Língua Portuguesa numa mixórdia de duplas grafias (cor-de-rosa e cor de rosa; pé-de-meia e pé de meia; água-de-colónia e água de colónia; arco-da-velha e arco da velha…), tendo a Academia Brasileira de Letras acolhido apenas as grafias hifenizadas.
No caso de hoje, no entanto, não há dúvidas. A locução perdeu mesmo os hífenes.

RESPOSTA:
Portugal está nos quartos de final!

AO45 (Portugal) FO43 (Brasil)
AO90 (Portugal, Cabo Verde e Brasil)
quartos-de-final
quartos de final
Nota: Segundo a informação do leitor Paulo Gurgel (ver caixa de comentários), no Brasil, são usadas as locuções "oitavas de final" e "quartas de final".

Abraço e bom final de domingo!

ProfAP

maio 26, 2016

MAUS-TRATOS ou MAUS TRATOS?

Segunda-feira, na SIC...

Há pouco, na TVI. Em que ficamos?

Muito utilizada, tanto em relação a pessoas como animais, encontramos esta expressão com hífen, mas também sem ele.
O assunto não é tão simples como possa parecer…

Enquanto no Ciberdúvidas encontramos a grafia com e sem hífen, o Portal da Língua Portuguesa não tem qualquer entrada para o termo.
Para complicar um pouco mais, há quem defenda «maus-tratos como termo jurídico que designa um crime e, por outro lado, «maus tratos como equivalente de sevícias.
A resposta que vos apresento segue três fontes: dois dicionários (Infopédia e Priberam) e o VOLP da Academia Brasileira de Letras.

RESPOSTA:
Devemos escrever MAUS-TRATOS (nome composto).
Nota: A palavra não tem singular. No singular, temos o adjetivo maltreito, que é sinónimo de maltratado.

Abraço.

ProfAP

maio 16, 2016

O Benfica é TRI-CAMPEÃO,TRI CAMPEÃO ou TRICAMPEÃO?

Com o Benfica em alta, tivemos escrita criativa nos media.

1.      TRICAMPEÃO

SIC
2.      TRI-CAMPEÃO
BENFICA: TRI-CAMPEÃO CONQUISTA O 35

3.      TRI CAMPEÃO
Fotogaleria do Tri Campeão

Afinal como é?
O prefixo tri- (como bi-) não está contemplado no AO45 e as opiniões diferiam: uns defendiam que nunca havia hífen, mesmo antes de h (dando como exemplo “triebdomadário”); outros achavam que havia hífen antes de h e i.
No AO90, estes prefixos não são referidos, pelo que seguem a regra geral: há hífen antes de h (tri-hídrico) e quando a letra final do primeiro elemento é igual à que inicia o segundo elemento (tri-iodometano). No entanto, enquanto o Portal da Língua Portuguesa, a Infopédia e a Priberam registam apenas “triebdomadário”, que parece ser uma exceção “consagrada pelo uso”, a Academia Brasileira de Letras apresenta “triebdomadário”, mas também “tri-hebdomadário”, seguindo a regra geral enunciada no Novo Acordo Ortográfico. Mais um tirinho no porta-aviões da unificação?

RESPOSTA:
O Benfica é TRICAMPEÃO!
Nota 1: E se for caso disso, também será TETRACAMPEÃO, PENTACAMPEÃO e até HEXACAMPEÃO.

Abraço.

ProfAP

maio 15, 2016

De onde vem a palavra VITÓRIA?


Em dia de comemoração para os benfiquistas, trago a história da palavra VITÓRIA. A forma atual está muito próxima da origem (o latim victoria). A grafia só se alterou (duplamente!) com a reforma ortográfica de 1911 (que mudou cerca de 10% das palavras da língua portuguesa): perdeu o “c” (que não se pronunciava) e ganhou um acento com a regra (criada também em 1911) que determinava (e determina ainda) que todas as palavras proparoxítonas (reais e aparentes) fossem acentuadas.

RESPOSTA:
VITÓRIA vem do latim victoria.

Abraço e bom final de domingo, seja qual for a cor desportiva por que torce o seu coração!

ProfAP
Imagem encontrada AQUI.

maio 14, 2016

Qual a designação dos habitantes de Castelo de Vide?


Depois de ontem ter dado destaque aos senenses (habitantes de Seia), viajamos hoje até ao Alentejo. Mais do que a designação, poderá surpreender o uso de hífen no gentílico.

RESPOSTA:
Os habitantes de Castelo de Vide são castelo-videnses ou, num termo mais erudito, viticastrenses!
NOTA: Enquanto nos topónimos usamos hífen apenas em compostos iniciados por grão ou grã (Grã-Bretanha), por forma verbal (Mira-Sintra) ou cujos elementos estejam ligados por artigo (Montemor-o-Novo), é obrigatório hifenizar TODOS os compostos derivados de topónimos: rio-grandense-do-sul, castelo-vidense, vila-franquense, vila-verdense, são-joanense, cabo-verdiano, campo-maiorense, etc.

Abraço para todos, mas em especial para todos os castelo-videnses!

ProfAP
Imagem encontrada AQUI.