Seguidores

dezembro 25, 2018

Voto de Natal!


No presente do conjuntivo cabem todos os desejos do mundo:
Que sejam felizes!
Deus queira que tudo corra bem!
Que haja paz no mundo!

Por isso, não surpreende que seja esse um dos tempos/modos predominantes no belo poema “Voto de Natal” do grande escritor português David Mourão-Ferreira.
Naveguem nas palavras do poeta e… que seja um bom Natal para todos vóoooos!

                 Voto de Natal

Acenda-se de novo o Presépio no Mundo!
Acenda-se Jesus nos olhos dos meninos!
Como quem na corrida entrega o testemunho,
passo agora o Natal para as mãos dos meus filhos.

E a corrida que siga, o facho não se apague!
Eu aperto no peito uma rosa de cinza.
Dai-me o brando calor da vossa ingenuidade,
para sentir no peito a rosa reflorida!

Filhos, as vossas mãos! E a solidão estremece,
como a casca do ovo ao latejar-lhe vida...
Mas a noite infinita enfrenta a vida breve:
dentro de mim não sei qual é que se eterniza.

Extinga-se o rumor, dissipem-se os fantasmas!
O calor destas mãos nos meus dedos tão frios?
Acende-se de novo o Presépio nas almas.
Acende-se Jesus nos olhos dos meus filhos.

David Mourão-Ferreira (1927-1996), in 'Cancioneiro de Natal'

Abraço.
ProfAP
Imagem encontrada AQUI.

dezembro 24, 2018

Como se representa por escrito uma gargalhada?

Hum... Será mesmo assim?

No âmbito de um trabalho de revisão de texto, surgiu-me a dúvida. Qual a grafia correta da onomatopeia de uma gargalhada: "ha! ha! ha!", "ah! ah! ah!" ou ambas?
Recorri ao Ciberdúvidas, onde o assunto é abordado:
(…) será importante sublinhar que a letra h «em português é consoante muda, pelo que não representa só por si qualquer som [...]. O h inicial, igualmente mudo e geralmente etimológico, era aspirado no latim até fins da República Romana, tal como sucede hoje também em várias línguas germânicas, por exemplo» (Fernando Venâncio, Infopédia). Deste modo, a opção pelo h gráfico, neste caso em início de palavra, não produzirá, atualmente, qualquer tipo de efeito audível”. (…)
Assim, e tal como consta, por exemplo, do Dicionário Priberam, convencionou-se que «ah! ah! ah!» seria a expressão representativa, em português, da gargalhada. Será igualmente importante não descurarmos o facto de a interjeição Ah, no latim, já conter em si, entre outras, a ideia de «alegria, zombaria» (Dicionário Houaiss).


CONCLUSÃO: 
A grafia de uma gargalhada é "ah! ah! ah!"!


Boas festas e recebam de braços abertos o Pai Natal! "oh! oh! oh!"
ProfAP
Gif encontrado AQUI.

agosto 16, 2018

Quem me dera - Mariza (compreensão oral)

O vídeo está a mais abaixo, antes da letra.

Para os estudantes de língua portuguesa em geral e em particular para os meus ex-alunos da Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe (e bolseiros em Portugal), aqui fica o mais recente trabalho de Mariza, uma das mais importantes vozes de Portugal e da lusofonia.
O principal é apreciar a música e a letra, mas podemos aproveitar o pretexto para aperfeiçoar a capacidade de compreender e distinguir palavras.

TESTE DE COMPREENSÃO/DISCRIMINAÇÃO AUDITIVA
1. Ouça a canção uma primeira vez (sem consultar a letra) e assinale as oito palavras que fazem parte do texto. Não pode assinalar mais do que oito palavras!
1.alegria___    2.lágrimas___    3.amor___   

4.dor___    5.flor___    6.ganhar___     

7.perder___    8.primavera___     9.outono___  

10.seria___    11.queria___   12.grande___ 13.viver___

2. A olhar para a letra (apresentada logo a seguir ao vídeo), enquanto ouve uma segunda vez a canção, registe num papel as palavras que correspondem aos oito espaços em branco.
3. Depois de realizar os exercícios, consulte as soluções (mesmo no fim deste post) e autoavalie o seu desempenho.
Conte 1 ponto por cada palavra bem escolhida (exercício 1.) e 1 ponto por cada espaço corretamente preenchido (exercício 2.). Compare o total obtido com a grelha a seguir apresentada.
13 a 16 pontos
Muito Bom
10 a 12 pontos
Bom
8 a 9 pontos
Suficiente
Menos de 8 pontos
Insuficiente

 

QUEM ME DERA

Que mais tem de acontecer no __________(1)
Para inverter o teu coração pra mim
Que quantidade de lágrimas devo deixar cair
Que flor tem que __________(2)
para ganhar o teu amor

Por esse amor meu Deus
Eu __________(3) tudo
Declamo os poemas mais lindos do universo
A ver se te convenço
Que a minha __________(4) nasceu para ti

Será preciso um milagre
Para que o meu coração se alegre
Juro não vou desistir
Faça chuva faça sol
Porque eu preciso de ti para seguir

Quem me dera
Abraçar-te no outono verão e primavera
Quiçá viver além uma quimera
Herdar a sorte e ganhar teu __________(5)  

Será preciso uma tempestade
Para perceberes que o meu amor é de verdade
Te procuro nos outdoors da __________(6), nas luzes dos faróis
Nos meros mortais como nós
O meu amor é puro é tão grande e resistente como embondeiro
Por ti eu vou onde nunca iria
Por ti eu sou o que __________(7) seria

Eu preciso de um milagre
Para que o meu coração se alegre
Juro não vou desistir
Faça chuva faça sol
Porque eu preciso de ti para viver

Quem me dera
Abraçar-te no outono verão e primavera
Quiçá viver além uma quimera
Herdar a sorte e ganhar teu __________(8)

SOLUÇÕES:
Exercício 1:

1.alegria___    2.lágrimas _X_     3.amor_X_     

4.dor___    5.flor_X_     6.ganhar_X_      

7.perder___    8.primavera_X_     9.outono___  

10.seria_X_    11.queria___   12.grande_X_ 13.viver_X_

Exercício 2:
1.mundo   2.nascer   3.faço   4.alma   5.coração    6.cidade    7.nunca    8.coração

julho 06, 2018

A propósito do "Auto Golo" no Brasil-Bélgica...



Estava aqui a torcer por uma alegria para os meus amigos brasileiros (e também para mim), mas nada feito. Ainda não foi desta…
Mas o motivo que aqui me traz é o prenúncio da “desgraça”: o “Auto Golo” de Fernandinho. Talvez traído pela emoção, o jornalista distraiu-se e ficou fora de jogo.
Sendo um elemento não autónomo, auto não sobrevive sozinho. Ou fica coladinho à palavra seguinte ou precisa de um suporte de vida (o hífen).
O Novo Acordo Ortográfico não serve de desculpa, pois a grafia não foi alterada.
AO 1945
AO90
Havia hífen antes de vogalhr e s:
auto-estrada
auto-observação
auto-hipnose
auto-retrato
auto-suficiente
Há hífen apenas antes de o* ou h:
autoestrada
auto-observação
auto-hipnose
autorretrato
autossuficiente
Autogolo!
Autogolo!
*A regra geral do AO90 para a hifenização determina que há hífen antes de h ou quando a letra inicial do segundo elemento é igual à que vem no fim do elemento inicial

Um bom fim de semana para todos, de preferência, sem autogolos!
ProfAP

julho 02, 2018

Pontapés na Gramática 1


Se a ssauvação xegol, ssauvemo-nos!

Abraço.
ProfAP
                                                                                                                  Fonte da imagem: AQUI.

junho 30, 2018

De onde vem a palavra URUGUAI?



Para aliviar o desgosto do futebol, embrenhemo-nos na linguística. De onde a palavra que concentra hoje o nosso imenso descontentamento?
Demos a palavra ao Ciberdúvidas:
O topónimo Uruguai – conforme registo do blogue Só Curiosidades – tem origem no nome do rio Uruguai. «Realmente o nome oficial do país é República Oriental do Uruguai, com “oriental” representando a posição do território em relação ao rio. A palavra uruguai deve derivar da palavra guarani urugua que significa "rio dos caranguejos". Outra possível explicação divide a palavra uruguai em três palavras do guarani: uru, um tipo de pássaro que vive próximo ao rio, gua, "que procede de" e y, "água"».

Abraço e… continuamos campeões da Europa!
ProfAP
Nota: Esta palavra tem a particularidade de conter um tritongo, ou seja, três vogais juntas na mesma sílaba: UrugUAI.

Imagem encontrada no jornal RECORD.

junho 17, 2018

Mindjeris di panu pretu - José Carlos Schwarz!


José Carlos Schwarz foi uma das descobertas mais interessantes que fiz no âmbito das pesquisas que realizei para me preparar para a primeira missão de voluntariado na Guiné-Bissau em agosto e setembro de 2016.
Desaparecido com apenas 27 anos, num trágico acidente de aviação em Cuba, em 1977, José Carlos Schwarz teve e continua a ter para os jovens o estatuto de um verdadeiro herói na Guiné-Bissau.
Já conhecia esta canção, mas só agora, por acaso, encontrei a tradução num registo de um programa da RTP, de onde retirei também o extrato que passo a transcrever:
José Carlos Schwarz foi um dos principais intérpretes da música de intervenção guineense, no período da guerra. É considerado o fundador da música moderna guineense. No início dos anos 70 do século passado fundou o grupo Cobiana Djazz.
As suas canções, em crioulo, começaram a ser tocadas na rádio de Bissau, facto inédito que causou perplexidade nas autoridades portuguesas e um grande impacto na população guineense.
Mindjeris di pano preto – Mulheres de pano preto – foi uma das primeiras e das mais importantes.



Mindjeris di panu pretu
Mulheres de pano preto

Mindjeris di panu pretu
Ka bo tchora pena (2x)

Si kontra bo pudi
Ora kun son di nos fidi
Bo ba ta rasa
Pe tisinu no kasa (2x)

Pabia li ki no tchon
No ta bai nan te
Bolta di mundu
Di rabu di pumba (2x)

Ma bo na limpa bo korson
Ku no sangi ku na kai na tchon (2x)

Mindjeris di pano preto
Ka bo tchora pena… (3x)


Mulheres de pano preto
não chorem mais

Se puderem
quando um de nós cair ferido
rezem por nós
para que regressemos à nossa casa

Porque aqui é que é a nossa terra
não importa aonde formos
Por mais voltas que der o mundo
volta-se sempre ao mesmo lugar

Mas vocês hão de limpar o coração
com o nosso sangue que cai no chão

Mulheres de pano preto
não chorem mais…

Abraço para todos, mas especialmente para os amigos da Guiné-Bissau!
ProfAP