Seguidores

abril 18, 2016

TCHAU QUERIDA ou TCHAU, QUERIDA?


Embora tenha acompanhado (espantado com os argumentos e a forma de os apresentar) parte da maratona da votação do processo de destituição da presidenta (feminino já registado no Dicionário de Língua Portuguesa, 1913, do meu familiar por afinidade Cândido de Figueiredo) Dilma, a abordagem que vos trago não é política nem social, mas apenas linguística.
Nos cartazes que temos visto na televisão nos últimos dias lá está a frase anti-Dilma: "TCHAU QUERIDA!". O TCHAU e a QUERIDA devem estar assim juntinhos um ao outro ou deve haver uma vírgula a separá-los?
Sintaticamente, estamos perante o vocativo. Com origem no latim vocatīvu, vindo de vocare (chamar), indica um apelo, um chamamento, um interpelamento, uma saudação. No caso de hoje, é mais um “vai-te embora”, mas não deixa de ser um vocativo.

CONCLUSÃO:
Deve escrever-se TCHAU, QUERIDA!
Com o vocativo, é sempre obrigatório o uso de vírgula:
a) Antes: TCHAU, QUERIDA!
b) Depois: QUERIDA, TCHAU!
c) Antes e depois: TCHAU, QUERIDA, TCHAU!

 Há pouco, o "jornal das 8", da TVI, escreveu bem!

 Tchau, queridos amigos!
 ProfAP

Imagem encontrada AQUI.

Sem comentários:

Enviar um comentário